MENU

3 de fevereiro de 2016 - 15:27F1

O primeiro lançamento

SÃO PAULO | Um carro que não deve ser mesmo o carro com a pintura que não deve ser a pintura. O que foi lançado mesmo hoje foi o novo time de fábrica da Renault na F1.

Algo que chama a atenção é a presença do logo da Infiniti na tampa do motor, em posição de destaque. A Infiniti faz parte do grupo e agora aparece no carro “da casa” por causa do rompimento com a Red Bull.

Frederic Vasseur vai mesmo ser o chefe. Ele era o parceiro de Nicolas Todt na operação da ART Grand Prix, e, diante do sucesso da ART nas mais diversas categorias nos últimos anos, está claro que é um bom currículo. Vasseur será o responsável pelas corridas. Cyril Abiteboul é quem vai assinar o cheque, e Bob Bell tomará conta do carro.

Kevin Magnussen foi apresentado como companheiro de Jolyon Palmer, e também contrataram o francês Esteban Ocon para ser o piloto reserva. Olho nele. É bom demais, e francês em equipe francesa. Nome para entrar na F1 em breve.

A cobrança de Carlos Ghosn, o presidente: estar no pódio em três anos — e creio que não o pódio em corridas, mas o top-3 do Mundial.

Na última chegada da Renault à F1, foi mais ou menos assim: de 2002 até 2005, o ano do título de Fernando Alonso.

Dessa vez a Renault vai ser mais paciente com a F1? Duvido. A impressão que tenho, no entanto, é que o programa é mais amplo — tanto que vão usar mais a marca ‘Renault Sport’. Só que é uma montadora. No primeiro aperto, bem capaz que pule fora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>